25 maio, 2014

Aterragem em Machico





Recuperação

Tudo sobre Hidrogenio, preço, consumo, etc, etc, …

 O meu nome é Duke.

 Este é o meu mundo.



 Aterramos onde você quiser, somos divulgadores da (PIEH) , Parceria Internacional Para a Economia do Hidrogênio. Soluções ambientais existem na área do hidrogênio que aleados á produção de Energia a partir da geotérmica fazem a diferença. Venha descobrir algumas de uma forma divertida ...

 ... Tudo sobre Hidrogenio, preço, consumo, etc, etc, …

.....idnightduke8


O meu nome é Duke.
Este é o meu mundo.
Aterramos em Machico, Portugal pertença da Commisão Europeia, um dos parceiros da (PIEH)Parceria Internacional para a Economia do Hidrogênio.

Aeroporto da ilha da Madeira

Machico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Machico
Brasão de MachicoBandeira de Machico
BrasãoBandeira
Machico ( Portugal )2.jpg
Baía de Machico
Localização de Machico
Gentílicomachiquense
Área68,31 km²
População21 828 hab. (2011)
Densidade populacional319,54 hab./km²
N.º de freguesias5
Presidente da
Câmara Municipal
Ricardo Franco (PS)
Mandato 2013-2017
Fundação do municípioPovoamento:
c. 1425 (588–589 anos)[1]
Elevação a vila e sede de concelho:
1451 (562–563 anos)
Elevação a cidade:
2 de agosto de 1996 (17 anos)
Região AutónomaMadeira
IlhaMadeira
Antigo DistritoFunchal
Feriado municipal9 de Outubro (Nosso Senhor dos Milagres / Aluvião de 1803)
Código postal9200 Machico
Site oficialwww.cm-machico.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg
Machico é um município português na ilha da Madeira, Região Autónoma da Madeira, com sede na cidade e freguesia de homónima. Tem 68,31 km² de área e 21 828 habitantes (2011), subdividido em 5 freguesias. O município é limitado a sudoeste pelo município de Santa Cruz, a oeste pelo Funchal através de uma pequena faixa a norte de Santa Cruz, a noroeste por Santana e é banhado pelo oceano Atlântico a norte, sul e leste.


Toponímia[editar | editar código-fonte]

O topónimo deriva segundo vários autores da semelhança com a região de Monchique (serra do Algarve), ou do nome de um marinheiro que acompanhou a expedição de Zarco, na demanda à ilha da Madeira, outros julgam ser a Roberto Machim (Lenda de Machim), que terá sido o primeiro descobridor da Madeira, quando, em 1377, ao dirigir-se para o sul de França, viu a sua embarcação ser arrastada pelos ventos para a Madeira. Esta última teoria foi muito defendida no século XVII e no século XIX, para defender interesses ingleses na ilha da Madeira.

História[editar | editar código-fonte]

Foi neste concelho que desembarcaram pela primeira vez os descobridores da Madeira, João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira, entre 1418 e 1420.
O concelho recebeu foral em 1451 e foi-lhe outorgado em 1515 por D. Manuel I.
A nível de acontecimentos históricos que marcaram o concelho, destaca-se a instituição da vila como sede da primeira Capitania, na Madeira, em maio de 1440. Estas terras foram residência do oficial capitão-donatário Tristão Vaz Teixeira.
Em 1803, houve um enorme desabamento de terras que soterrou diversas casas, destruindo as muralhas da ribeira, a ponte e a Capela dos Milagres. Foi também local do confronto que pôs termo à "Revolta da Madeira", em abril de 1931.
A nível do património arquitetónico, destacam-se o Forte do Amparo, que apresenta uma planta triangular para permitir a defesa dos dois lados da baía de Machico; a Casa da Capela / Solar da Ermida, com elementos dos séculos XVII e XVIII; a Igreja Matriz de Machico, construída em 1425, e a Capela de Cristo, construída em meados do século XV, reconstruída no século XVI e, de novo, em 1883. Foi danificada pelo aluvião de 3 de novembro de 1956, tendo sido restaurada em 1957.
A sede concelhia foi elevada à categoria de cidade a 2 de Agosto de 1996.

Clima e relevo[editar | editar código-fonte]


Vista panorâmica da cidade.
Verificam-se diferenças entre o litoral e o interior do concelho: no litoral o clima é mais quente e seco, sendo os terrenos áridos e bravios; à medida que se caminha para o interior o clima torna-se mais fresco e húmido e prolifera a vegetação.
Apesar de ser, essencialmente, uma área de costa, banhado a norte, este e sul pelo oceano Atlântico, a sua morfologia é marcada por vários montes e serras, entre outras a do Castanho (589 m), a do Pedreiro (792 m), Pico da Coroa (738 m) e Penha de Águia (590 m).
As vertentes costeiras são abruptas, mas devido aos efeitos de erosão possui praias de areia negra. No Caniçal há uma prainha, a única de areia de origem vulcânica natural na ilha da Madeira.

Economia[editar | editar código-fonte]


Vale de Machico.

Baía de Machico.

Porto da Cruz.
No concelho predominam as atividades do setor terciário, ligadas às áreas do turismo, comércio, restauração e serviços de hotelaria. Com importância inferior surgem os setores secundário e primário, este último nas áreas da agro-pecuária e da pesca.
Na agricultura predomina o cultivo de cereais para grão de leguminosas também para grão, da batata, das culturas hortícolas intensivas, dos frutos subtropicais e da vinha. A agro-pecuária é um setor importante, nomeadamente na criação de aves, coelhos e caprinos. Grande parte (79 ha) do seu território é coberto de floresta.

Geminações[editar | editar código-fonte]

Machico possui as seguintes cidades-gémeas[2] :

Capitães donatários de Machico[editar | editar código-fonte]

  • Tristão Vaz, 1.º Capitão donatário de Machico c. 1395;
  • Tristão Vaz Teixeira, "Tristão das Damas", 2.º Capitão donatário de Machico;
  • Tristão Teixeira, 3.º Capitão donatário de Machico;
  • Diogo Teixeira, 4.º capitão donatário de Machico;
  • D. Afonso de Portugal, 5.º capitão donatário de Machico e 2.º conde de Vimioso c. 1519;
  • D. Francisco de Portugal, 6.º capitão donatário de Machico e 3.º conde de Vimioso c. 1550;
  • Tristão Vaz da Veiga, 7.º capitão donatário de Machico, c. 1537;
  • D. Luis de Portugal, 8.º capitão donatário de Machico e 4.º conde de Vimioso * 1555;
  • D. Afonso de Portugal; (1591 -?), 9.º capitão donatário de Machico e e 5.º conde de Vimioso;
  • D. Luís de Portugal (1620 -?), 10.º capitão donatário de Machico e 6.º conde de Vimioso;
  • D. Miguel de Portugal (1631 -?), 11.º capitão donatário de Machico e 7.º conde de Vimioso;
  • D. Francisco de Paula de Portugal e Castro (1679 -?), 12.º capitão donatário de Machico e 2.º marquês de Valença;
  • D. José Miguel João de Portugal e Castro (1706 -?), 13.º capitão donatário de Machico e 3º marquês de Valença.[3] [4]

Demografia[editar | editar código-fonte]

População do concelho do Machico (1849 – 2011)
18491900193019601981199120012011
5 49111 82017 93621 60622 12622 01621 74721 828

Distribuição da população[editar | editar código-fonte]


Freguesias do concelho de Machico.
Segundo os censos de 2001, a população do concelho totaliza 21 747, distribuídas pelas cinco freguesias da seguinte maneira:
  1. Água de Pena: 1 759 hab.
  2. Caniçal: 3 893 hab.
  3. Machico: 11 947 hab.
  4. Porto da Cruz: 2 793 hab.
  5. Santo António da Serra: 1 355 hab.

Notas

  1. Segundo Gaspar Frutuoso, o primeiro donatário se estabeleceu em Machico com sua mulher e filhos, no mês de maio de 1425.
  2. Geminações da RAM. Geocities. Página visitada em 16 de agosto de 2009.
  3. D. António Caetano de Sousa, História Genealógica da Casa Real Portuguesa, Atlântida-Livraria Editora, Lda, 2ª Edição, Coimbra, 1946 Tomo X-pg. 464]
  4. Nobiliário das Famílias de Portugal, [Felgueiras Gayo], Carvalhos de Basto, 2ª Edição, Braga, 1989, vol. IX-pg. 575 (Teixeiras)



A energia tem de ser o mais facil de encontrar, obter.

Todo o processo e infrastrutura deve ter o menor impacto ambiental possivel (o custo do desenvolvimento e da mudanca ambiental nunca deve ser superior a propria vida)

Frank Sinatra

[May Way]

[Meu jeito]

E agora o fim está próximo
Então eu encaro a cortina final
Meu amigo, Eu vou falar claro
Eu irei expor meu caso do qual tenho certeza

Eu vivi uma vida por inteiro
Eu viajei por cada e em todas as estradas
E mais, muito mais que isso
Eu fiz do meu jeito

Arrependimentos, eu tive alguns
Mas então,  tão poucos para mencionar
Eu fiz, o que eu tinha que fazer
E eu vi tudo, sem exceção

Eu planejei cada caminho do mapa
Cada passo, ao longo da estrada
Oh, mais, muito mais que isso
Eu fiz do meu jeito

Sim,
Teve horas,
Eu tenho certeza de que você sabe
Quando eu mordi mais que eu podia mastigar

Mas, entretanto, quando havia dúvidas
Eu engoli e cuspi fora
Eu encarei tudo isso e continuei altivo
E fiz do meu jeito

Eu amei, eu sorri e chorei
Tive minhas falhas, minha parte de derrotas
E agora como as lágrimas descem
Eu acho tudo tão divertido

De pensar que eu fiz tudo
E talvez eu diga, não de uma maneira tímida
Oh não, não eu
Eu fiz do meu jeito

E o que é um homem, senão o que ele tem
Se não ele mesmo, então ele não tem nada
Para dizer as coisas que ele sente de verdade
E não as palavras de alguem que se ajoelha

Os registros mostram,
Que eu recebi as desgraças
E fiz do meu jeito.

Sim, esse era meu jeito

(PIEH) Parceria Internacional para a Economia do Hidrogênio


Meu nome é Duke. Isto é o meu bolg.
Esta são Cidades do Hidrogenio e da Geotermica.
O trabalho apresentado neste blog, é um estudo de nichos sociais existentes em muitas das cidades visitadas.
Muitos dados estão incorrectos, precisam de confirmação científica. Outros dados seguiram rigorosos critérios de investigação por muitos dos autores, a quem agradeço pelo seu trabalho.
Peço desculpa por qualquer erro, baseado nas traduções do que eu escrevo aqui. Pois o meu conhecimento linguitico sobre tais linguas provem do tradutor do Google.
As marcas apresentadas aqui tem todos os direitos sobre invenções ou trabalhos científicos citados. A cópia ou reprodução é punível nos termos da lei do país em que o crime de plágio é cometido.
Obrigado ... Mid Night Duke ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

midnightduke8 procure este none no Google
Find in the Google this name midnightduke8

(PIEH) Parceria Internacional para a Economia do Hidrogênio
(IPHE) International Partneship for lhe Hidrogen Economy